1. Homepage
  2. Soluções de software
  3. Digitalização na indústria

Digitalização na indústria

Os frutos da digitalização Assim as tecnologias digitais criam novos empregos.

A digitalização muda setores da vida como lazer, hábitos de consumo e mundo profissional. Enquanto que na Alemanha por um lado 50.000 empregos para especialistas de TI permanecem desocupados, por outro lado 3,4 milhões de pessoas têm que aprender a mudar suas formas de pensar. Sem dúvida, o mundo profissional está novamente em processo de mudança. Oportunidades e riscos esperam igualmente para serem "abordados".

Mudanças e reorientação de diferentes funções são inevitáveis nesta situação. Empresas e o governo federal falam de grandes oportunidades que a digitalização oferece para os trabalhadores na Alemanha. E a economia alemã prospera. A taxa de desempregos na Alemanha está tão baixa como há muitos anos não estava.

Há ressalvas de que o trabalho será substituído por robôs e algorítimos de computados. Mas a situação não é na verdade um convite para acompanhar a mudança e encontrar nela nossa própria posição?

Também nesta "4ª revolução industrial", ficar parado, não parece ser aconselhável de forma alguma: De acordo com a associação empresarial, há atualmente somente 20.000 empregos disponíveis no setor de tecnologia da comunicação. Comparação: Na metade dos anos 90 eram dez vezes mais. "Em somente 50 anos perdemos, através da digitalização, 90 % dos empregos neste setor", afirma Achim Berg, presidente da Bitkom.

De técnico de máquinas a gerente de segurança

Hartmut Hirsch Kreinsen, professor de economia da Faculdade TU Dortmund na Alemanha, vê de forma totalmente diferente: O mundo profissional se transformará e já está evidentemente em mudança, mas a afirmação geral de que a digitalização irá levar a alta taxa de desemprego é exagero. Com a "4ª revolução industrial" haverão novos empregos, que em parte são ainda desconhecidos atualmente. A teoria de Hirsch Kreinsens é apoiada pelos dados da Bitkom Research GmbH em trabalho conjunto com os institutos de pesquisa de mercado IDC e GfK.

De acordo com eles, a transformação digital dá um forte impulso: Com 45.000 empregos adicionais no setor de TI e telecomunicação, foi alcançado em 2017 o mais alto aumento histórico ocorrido dentro de um ano. Assim novos campos de atividade como por exemplo o de gerente de segurança, que se ocupa da arquitetura de segurança da TI interna de empresas, ou de cientista de grandes volumes de dados.

Especialistas estão certos de que novos empregos não surgirão somente em ambientes informáticos típicos. Em relação à condução autônoma por exemplo, deverá haver no futuro os ditos éticos de máquinas, que decidem quais regras os carros de condução autônoma deverão seguir.

"Não é só suficiente detectar oportunidades, é necessário aproveitá-las"

De acordo com os especialistas, as condições mais importantes para esta tendência são produtos e inovações inteligentes, assim como novos modelos de negócios que apenas serão possíveis através da digitalização. Para continuar sendo competitivas as empresas devem investir em tecnologia digital independentemente do seu tamanho, afirma Berg. Por um lado, elas devem desenvolver-se com agilidade e por outro, devem apoiar os seus funcionários e concentrar-se nas necessidades do "cliente interconectado".

Os especialistas de digitalização são da opinião de que especialmente as pequenas e médias empresas, são forçadas a tomar atitudes. Apesar de ressalvas e dificuldades iniciais, as empresas também perceberam, como mostra a pesquisa da Bitkom: De acordo com o resultado da pesquisa, além da ameaça percebida através da digitalização, para 86 % dos entrevistados, a indústria 4.0 é mais uma oportunidade do que um risco.

No entanto, a simples conscientização sobre os potenciais da digitalização não são suficientes: "Não é só suficiente detectar oportunidades, é necessário aproveitá-las", diz Berg. E é exatamente aí que está o desafio.
Quem quer ter sucesso, precisa de estratégias de digitalização. Desde funcionários que pensam de forma inovadora, até os com o conhecimento necessário. A diversidade de estratégias com as quais se pode enfrentar a digitalização é grande. De acordo com especialistas, o desenvolvimento de novas ideias de negócio é a chave para o sucesso. No entanto, para novas inovações são necessários dados que possam ser analisados para competir no mercado da „Internet of Things“ (IoT).

A função dos dados

Para a indústria, isto significa: Novos modelos de negócios podem surgir através de dados analisados por máquinas, da utilização de sensores e do processamento de grande volume de dados em tempo real. Com as informações obtidas, as empresas de todos os setores podem por sua vez, melhorar suas cadeias de valores e otimizar seus processos.
Para tornar possível exatamente isso, o grupo empresarial ifm por exemplo, age como "elo" na cadeia de valores digital apoiando outras empresas com suas tecnologias de automação industrial por sensores, sistemas de comando e soluções de comunicação.

Assim, os clientes industriais podem gerar dados com os sensores desenvolvidos e obter importantes informações. Estas informações ajudam a detectar danos nas máquinas antecipadamente e a evitar falhas consequentes.

Além disso, o fornecedor de tecnologia do setor B2B, oferece soluções completas, inclusive o planejamento e a implementação de projetos, diz Dr. Thomas May, membro do conselho diretor ifm. Em todas as abstrações técnicas, a empresa de tradição dá muita importância à proximidade com o cliente: "Estamos pessoalmente à disposição dos clientes, independentemente do país e idioma", diz May. Significativo: O especialista em sensores voltado para serviços, já ganhou vários prêmios como ótimo empregador.

Aproveitar as oportunidades

Mesmo que o medo de que as máquinas substituam os homens seja provavelmente tão antigo quanto a própria história da mecanização: Sempre acontece diferente do que se espera. Finalmente a terceira revolução industrial mostra com o progresso da automação, que uma transformação pode trazer novas oportunidades.

A condição para novas oportunidades é que as empresas, em interesse de seus funcionários, detectem e usem o seu potencial e com a ajuda de informações, desenvolvam produtos e serviços inteligentes, que sejam adaptados às exigências de mercado.

Isso a ifm também consegue: O grupo empresarial que desenvolve, produz e distribui tecnologias de automação relacionadas à medição, controle e regulagem, emprega mais de 6.700 funcionários em 70 países, desde programador de ABAP até gestores de planejamento de previsões. Mais uma evidência de que tecnologias digitais não só mudam diversos perfis profissionais, como também criam vários novos empregos.