1. Homepage
  2. Página inicial
  3. Tecnologia

Princípios de medição para sensores de vazão e sensores de fluxo

Magnético-indutivo

O sensor de vazão do tipo SM trabalha de acordo com o princípio de indução de Faraday. O fluido condutor que flui em um campo magnético (M) através de um tubo, produz uma tensão proporcional à velocidade (v) e à vazão volumétrica. Esta tensão é captada pelos eletrodos (E) e preparada em um sistema eletrônico de avaliação. Graças aos materiais resistentes, o sensor é apropriado para vários tipos de fluidos Em campo, o sensor destaca-se igualmente por seu alto grau de proteção e seu invólucro robusto e compacto.

O princípio de medição é adequado para líquidos com uma condutibilidade elétrica de no mínimo 20 µS/cm. Valores típicos para a condutibilidade elétrica são 0,5 µS/cm para água destilada, 50 µS/cm para água potável e 50.000 µS/cm para água salgada.


Certificado de calibração ISO para sensores de vazão SM: ZC0052

Princípio de medição Vortex

Em um corpo de retenção instalado em um tubo de medição, o fluido que corre (água com ou sem condutibilidade) gera, de acordo com a sua velocidade, redemoinhos mútuos que são detectados por um sensor piezo-cerâmico. Se o corte transversal for conhecido, a quantidade de vazão pode ser determinada pelo número de vórtices.
Este procedimento de medição de vazão conhecido como princípio Vortex é, na medida do possível, independente das variações de pressão e temperatura do fluido.

Princípio de medição mecatrônico

O sensor de fluxo trabalha de acordo com o princípio de pistão apoiado por mola. O pistão localizado na base da válvula do invólucro é levantado pelo fluido que flui contra a força da mola.
A posição do pistão é monitorada por um sensor magnético e é emitida como sinal analógico. Com a diminuição do fluxo, a força da mola provoca a volta do pistão para a sua posição original. Isto permite a instalação do sensor de fluxo independentemente da posição e se previne o refluxo.
Uma outra versão mecânica robusta (SBT) pode sr utilizada em altas temperaturas de até 180ºC e em ambientes industriais adversos.

Princípio de medição de Ultrassom

Sensores ultrassônicos são formados por conversores (imagem da direita) que enviam e recebem impulsos de som, assim como refletores (imagem da esquerda) que conduzem impulsos de um conversor ao outro. Um impulso é enviado pelo fluido e o sensor mede o tempo de duração de um conversor para o outro. Então, um impulso é enviado na direção oposta. O sensor mede a diferença de tempo (em nanossegundos) e calcula a quantidade de vazão.


Certificado de calibração ISO para sensores de vazão SU: ZC0053

Princípio de medição calorimétrico

Os modelos SA e SI contém 2 elementos de medição e uma fonte de calor.
O elemento de referência, que está a 10 mm acima do chão mede a temperatura do fluido e é usado para a compensação de temperatura A diferença de temperatura para o elemento no chão é mantida contante através da fonte de calor que lá se encontra. A potência necessária para manter esta diferença constante é proporcional à velocidade de fluxo. Uma crescente velocidade de fluxo gera uma maior dissipação de calor.

O medidor de ar comprimido SD utiliza o mesmo princípio térmico. Um dos seus elementos de medição cerâmicos é aquecido (elemento de medição), o outro não (elemento de referência). A diferença de potencial que resulta da dissipação de calor através do fluido, é a medida para o fluxo.

O volume de fluxo padrão (conforme a ISO 2533) é detectado diretamente.